5.4.05

Entraste como um raio de luz na minha vida, iluminando todo o meu ser, pondo um sorriso meio parvo de gostar de alguém nesta cara que há muito não sorria. Fizeste-me rir como há muito não ria. Abraçaste-me muito, foste carinhoso, percorreste o meu corpo com as tuas mãos sensuais e os teus lá bios experientes. És uma brisa de ar fresco na minha vida.
Mas assim como tão depressa entraste na minha vida, iluminando-a , tão depressa te afastaste, como um furacão que deixa para trás milhares de destroços, sem qualquer previsão. E agora? Que faço eu agora? Espero que regresses como uma brisa do mar e me acalmes com toda a tua paz.
(escrito algures em Março)