31.8.05




















Bombom de chocolate
esquecido no bolso do calção
todo o Verão
até que um dia mete a mão no bolso
e sente o chocolate derretido.
Olha para a mão,
toda castanha de chocolate.
Primeiro mete o polegar
na boca para provar.
Apesar de todo esse tempo
no bolso, ainda sabe bem.
Vai lambendo com prazer, dedo a dedo
como se fossem gelados.
Várias imagens lhe
vêm à memória:
o primeiro beijo, o primeiro amor,
os amores de Verão, sexo,
desilusões, brincadeiras de amor...
De forma lânguida vai passando
a língua por todo o chocolate
espalhado nos dedos
como se estivesse a beijar todos os rapazes
que beijou e que a beijaram
dos pés à cabeça.
De repente, lembra-se onde está,
lambe depressa o resto do chocolate
e segue o seu caminho.
Mas, pára no quiosque ali perto
e compra um chocolate pequenino
que põe novamente no bolso do calção.
Em casa, quer de novo sentir
tudo o que sentiu há pouco
e muito mais...

1 Comments:

Blogger João said...

Ora aí está, uma prova de que nem tudo que supostamente seria desagradável o é. Isso tá-me sempre a acontecer, e mais tarde, quando se reflecte com mais calma supreendemo-nos com a facilidade com que coisas tão simples nos trazem tantas recordações e nos remetem para outro estado de espirito. Há coisas assim!!!

1/9/05 10:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home