25.10.05

Ninguém quer ficar só.
Gostamos de ter os nossos momentos de solidão, só para nós, para cuidar de nós próprios, para pensar na nossa vida, para ouvirmos a nossa música, para lermos os nossos livros, fazer as nossas coisas, sem ninguém nos chatear.
Eu, pelo menos, sou assim.
Tenho amigos, tenho família de quem gosto (de quem não aprecio nem falo, está bem longe), mas sinto falta de algo mais...
Falta aquela pessoa com quem partilhar os meus segredos, os meus momentos de felicidade, com quem partilhar aquela música especial, aquela história especial que lemos num livro ou num jornal. Aquela pessoa que me dê um beijo seguido de um bom-dia bem sorridente e feliz. Aquela pessoa a quem conto como correu o meu dia e de quem oiço as histórias diária mais doidas que alguma vez ouvi contar. A quem pedir conselhos, com quem partilhar os problemas, os sonhos, as ambições, os projectos, tudo da minha vida.
Mas tem sido um encontro difícil. Quando penso que encontrei o tal, lá vem problema das duas partes, minha e dele. No início tudo maravilhoso, como acontece em todas as relações, depois vem a reviravolta e desmorona-se tudo, sem entender o porquê desse desabar. Sou ele, é ele? Não sei.
Mas toda a gente tem a sua alma gémea, ou como muitos dizem "a cada panela a sua tampa", e eu espero encontrar a minha um dia. Às vezes está mesmo ao nosso lado e nós nem vemos. chega sem darmos conta...Mas, uma coisa é certa, não quero ficar sózinha! E não me venham com o "mais vale só do que mal acompanhado"...

4 Comments:

Blogger um cavalo ou um boi said...

Percebo-te. Mas olha... às vezes quanto mais procuramos, mais difícil se torna de encontrar. Quanto tiver que aparecer, aparecerá.

25/10/05 9:56 da tarde  
Blogger Sonnenschein said...

É verdade, quando menos espero aparece (tem sido sempre assim), mas desvanece-se sempre tal qual a bruma. Mas também não ando à procura, quando tiver que ser, será :)

25/10/05 10:03 da tarde  
Blogger AnaBond said...

ia dizer a mesma coisa, mas afinal já te disseram.

compreendo o que queres dizer, eu sou igual a ti... mas felizmente encontrei a minha 'tampa', salvo seja, eheheh. e foi logo na altura em que menos pensava nisso.

mas compreendo o que sentes... realmente há coisas que só se podem partilhar com uma pessoa... e sabe tão bem.

tenho ideia que ainda és nova... estou certa?
o teu dia chegará... mais cedo ou mais tarde.

um beijo e obrigado pelas visitas...

26/10/05 2:58 da tarde  
Blogger Ana said...

Dizer que sei o que sentes, seria talvez presunção a mais da minha parte... mas a verdade é que consigo identificar-me com o que disseste...
Um abraço apertado e um *

27/10/05 9:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home